Bem-vindo à realidade! Você iniciou o processo de transformação em sua organização, mas seus executivos seniores não conseguem entregar as metas que vocês planejaram. E agora?

A maioria dos CEOs e diretores, quando iniciam um processo de transformação, assumem que a etapa mais relevante será o plano de treinamento e a comunicação para execução das metas desejadas.

 Este pensamento óbvio acaba levando 70% dos processos de transformação a fracassarem ou entregarem muito pouco do resultado esperado.

Tudo isso porque não levaram em conta a estrutura de poder oculto que existe além dos cargos de sua empresa.

Para não cair nesta armadilha, seu desafio será investir tempo em entender essa estrutura de poder de baixo para cima, localizando assim os agentes de mudança.

Mostrando de forma logica à essas pessoas quais impactos essa transformação em sua trajetória terá, tanto dentro como fora da organização.

A arte de recrutar agentes protagonistas.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagemRecrutar protagonistas é um processo contínuo, que evolui conforme o projeto avança, onde você deve estar sempre alinhando desejos, necessidades e expectativas entre os agentes de mudança e os executivos responsáveis pelo resultado da transformação.

5 situações desafiadoras e como lidar com elas.

Quantas vezes você fez reuniões com agentes de mudança importantes, apenas para no final ir embora com o sentimento de que não conseguiu exatamente o que esperava? Ou, saiu ouvindo que você teria o “comprometimento total” deles, mas na verdade eles não estavam tão dispostos a fazerem o que era necessário por parte deles?

Aqui 5 situações reais e desafiadoras e algumas dicas de como lidar com elas.

 1.     Recrutando uma pessoa com quem você não tem relacionamento ou só conhece a capacidade técnica.

Desculpe, mas a verdade é que este é o erro mais fatal que você pode estar cometendo. O processo de transformação exige que você tenha confiança e credibilidade nas pessoas envolvidas.

Se você ainda não tem o relacionamento, busque pessoas de sua confiança e influência, que possam lhe ajudar a preparar e até participar do processo de recrutamento.

  2.     Lidar com pessoas que estão vários níveis acima de você.

Se você já criou uma relação de confiança, isto não será um problema. Agora, se não, a dica é iniciar uma “escalada de confiança e credibilidade”. Assim como um alpinista, você deve buscar rotas seguras para conquistar o pico da montanha.

Procure dentro de seu próximo nível pessoas que possam criar a ponte correta entre você e o alto escalão. Se isso não funcionar, você precisará continuar escalando, nível a nível, até encontrar alguém com o relacionamento certo para lhe ajudar.

3.     Sobrecarga repentina do agente de mudança.

Este é o problema mais comum e não considerado durante o processo de transformação. Quando você acha que as coisas estão indo bem (ou quando você acha que as coisas não poderiam piorar), a pessoa sai ou é “realocada” para uma nova iniciativa.

Neste cenário você precisa usar o que chamo de T.O.C.

1º Transparência – Compartilhar com a nova pessoa o que estava indo muito bem e o que não estava; focando em fatos e não em pessoas.

2º Orientação – Mostrar a importância que ele terá em expressarmodelar e reforçar os comportamentos necessários para o sucesso do projeto.

3º Coaching – Dar treinamento e orientação contínua sobre o que ele deve fazer para alcançar os resultados.

4.     O que fazer quando a pessoa não está entregando o combinado para o projeto?

Quando você está em um projeto de transformação, o princípio primordial é que precisamos sair de nossa visão e entrar no olhar dos outros.

De forma prática, você precisa se questionar:

“O que esta pessoa está tentando alcançar?”

Tenha sempre em mente que não são os seus objetivos que eles querem alcançar, mas sim os deles.

Convide as pessoas para falaram sobre “o que está indo bem e o que não está” em sua visão. Em seguida, direcione a discussão em torno dos que eles querem alcançar a partir deste projeto.

Lembre-se, seu objetivo é ser honesto e não tomar os feedbacks como coisas pessoais.

5.     O que fazer quando há resistência à transformação.

Infelizmente isto é muito comum e faz parte da natureza humana buscar manter rotinas, padrões e culturas. É essencial que a liderança sênior esteja preparada para lidar com isso em todos os níveis da empresa.

Mesmo que você tenha criado um espírito aberto à transformação nos níveis mais operacionais da organização, a quebra da resistência deve ser demonstrada e reforçada pelo comportamento das pessoas de maior poder na estrutura (C-level).

Isto irá inspirar as pessoas a sempre estarem abertas ao novo.

O recrutamento de agentes de mudança nem sempre é simples e claro!!!

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

É por isso que vejo o processo de transformação como um exercício de poder e política comportamental. Então, agora se você está lidando com um processo difícil, lhe convido a testar essas dicas.

Lembrando que primeiro você deve sempre focar na construção do relacionamento correto ou encontrar pessoas que já tenham o tipo de relacionamento que você irá precisar.

E também manter em mente, que suas conversas precisam ser através do ponto de vistas dos outros e não do seu!

Garanto que seguindo as dicas acima e focando em entender a estrutura de poder, você alcançar muito mais rápido e fácil as suas metas .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *